Setor de Reprodução Humana

O Setor de Reprodução Humana da Escola Paulista de Medicina foi pioneiro na abordagem conjunta do casal com dificuldade para ter filhos. Desde 1992, nesta Escola, o casal passou a ser visto e tratado como uma unidade funcional em termos de reprodução, deixando para trás os conceitos de infertilidade feminina ou infertilidade masculina, os quais foram adotados posteriormente por outras clínicas e universidades. Por esta razão, alunos, residentes, estagiários e pós-graduandos que comparecem ao setor para aquisição de capacitação e habilidades, o farão em Medicina Reprodutiva, tendo como o foco central o casal infértil. O Setor oferece conhecimento teórico e prático nos seguintes temas:

  1. Ultrassonografia transvaginal
  2. Ginecologia Endócrina aplicada à Reprodução Humana
  3. Andrologia
  4. Diagnóstico em Reprodução Humana
  5. Tratamento cirúrgico
  6. Tratamento clínico
  7. Técnicas de Reprodução Assistida

O setor tem por princípio desenvolver ensino, pesquisa e assistência, com reuniões científicas semanais, atendimento ambulatorial 4 vezes por semana e centro cirúrgico 1 período por semana para microcirurgias e diário para punção de folículos ovarianos.

Ao terminar o seu período, o médico deverá ser capaz de:

  1. Desenvolver o atendimento do casal, identificando possíveis fatores determinantes da infertilidade no homem e na mulher;
  2. Solicitar e interpretar adequadamente os exames subsidiários necessários ao diagnóstico do casal (espermograma, dosagens hormonais, histerossalpingografia e ultrassonografias);
  3. Realizar e interpretar a ultrassonografia transvaginal para monitorização de ciclo menstrual e de estimulação controlada dos ovários;
  4. À luz do diagnóstico do casal, indicar os procedimentos mais adequados para a obtenção da gravidez;
  5. Participar de procedimentos de reversão de laqueadura, reversão de vasectomia, varicocelectomia, MESA, TESE;
  6. Realizar, em ambiente de consultório, processo de inseminação intrauterina
  7. Realizar punção de folículos ovarianos orientada por ultrassonografia
  8. Realizar simulações de transferência de pré-embriões em ambiente de consultório

Coordenador

Dr. Renato Fraietta

Assistentes

Dra. Amanda Begatti Victorino - Embriologista

Dra. Jacqueline Camilo - Embriologista

Dra. Tatiane Gama de Abreu Souza - Embriologista

Dra. Valéria Barradas - Farmacêutica / Bioquímica

Dra. Carolina Homsi - Bióloga

Dra. Maria Beatriz Ribeiro de Andrade - Biomédica

Fellow 2018

Dr. Matheus Ferreira Gröner

Dr. Millian Carlos Ronchini Vieira

Psicóloga

Dra. Carolina Pareto Stefanini - Psicóloga

Setor de Uro-Oncologia

O Setor de Uro-Oncologia da Escola Paulista de Medicina está em processo de reestruturação para oferecer condições adequadas para ensino, pesquisa e assistência aos alunos de graduação, pós-graduação, residentes e estagiários. Foram desenvolvidos e já estão em andamento protocolos de conduta em Cânceres da Próstata, Rim e Bexiga e em elaboração para Cânceres de Testículo e Pênis.

Para desenvolvimento do ensino, pesquisa e assistência, realizamos Reuniões Científicas semanais, atendimento ambulatorial uma vez por semana e dispomos de 04 períodos por semana de sala cirúrgica.

Coordenadores

Prof. Dr. Marcus Vinicius Sadi

Prof. Dr. Américo Toshiaki Sakai

Médicos Assistentes

Dr. Jorge Luis Wilson Junior

Dr. Vitor Bonadia Buonfiglio

Dr. Renato M. Mariano da Costa Junior

Dr. Luis Felipe Célia Brandão

Setor De Disfunções Do Trato Urinário Inferior, HPB E Urologia Feminina

Várias situações podem levar ao surgimento de disfunções do trato urinário inferior em homens e mulheres. Dentre elas, podemos destacar problemas neurológicos, hiperplasia prostática benigna, doenças do assoalho pélvico e idiopático. Desta forma, a Disciplina de Urologia da Escola Paulista de Medicina, de maneira inovadora, integrou todas as patologias responsáveis pelas Disfunções do trato urinário inferior no adulto, possibilitando aos nossos residentes e estagiários uma visão ampla dessas etiologias.

Hoje o urologista que deseja especialização nessa área tem a oportunidade de receber treinamento especializado para qualificá-lo para o diagnóstico adequado e o tratamento de todas patologias que originam as disfunções do trato urinário inferior em homens e mulheres.

O setor oferece oportunidade para que os urologistas tenham treinamento suficiente em:

  1. Estudo urodinâmico
  2. Incontinência urinária de esforço feminina
  3. Incontinência urinária de esforço masculina
  4. Reconstrução do assoalho pélvico e prolapso de órgãos pélvicos
  5. Divertículo uretral
  6. Fístulas urinárias
  7. Bexiga hiperativa
  8. Obstrução infravesical de diversas etiologias
  9. Hiperplasia prostática benigna
  10. Disfunções neurogênica do trato urinário inferior
  11. Síndrome da dor pélvica crônica
  12. Infecção urinária

O setor funciona baseado nos pilares de ensino, pesquisa e assistência, com reuniões científicas e de pesquisa semanais, atendimento ambulatorial 2 vezes por semana, realização de estudo urodinâmicos 4 dias por semana e centro cirúrgico 4 períodos por semana.

O aluno deverá ser exposto aos procedimentos relativos a especialização, incluindo:

  1. Ressecção endoscópica da próstata mono e bipolar
  2. Vaporização da próstata por meio de Laser
  3. Prostatectomia aberta
  4. Correção da incontinência urinária masculina por meio de Sling masculino e esfíncter artificial
  5. Correção de incontinência urinária feminina por meio de Sling T.O. e retropúbico
  6. Correção de prolapso por via vaginal e por via retropúbica
  7. Reconstrução do assoalho pélvico
  8. Ressecção de divertículo uretral feminino
  9. Tratamento fístula do trato urinário inferior por via vaginal e aberta
  10. Ampliação vesical e derivações urinárias
  11. Aplicação de Botox intravesical
  12. Implante de Neuromodulador sacral

Coordenador

Prof. Dr. Fernando G. Almeida

Vice-Coordenador

Dr. Milton Skaff

Médicos Assistentes

Dr. Davidson Bezerra da Silva

Dr. Edson Gurfinkel

Dr. Luciano Teixeira e Silva

Dr. Eduardo Remaile Silveira Pinto

Dr. Paulo Marcos Longuini Mazili

Dra. Alessa Cunha Machado

Setor de Enfermagem

Coordenadora

Enf. Marcia Eli Girotti

Setor de Fisioterapia

Coordenadora

Ft. Mariana Rhein Felipe

Colaboradoras

Maira Oshiro dos Santos

Monique Sampaio Rodrigues

Laboratório de Pesquisa Básica e Cultura Celular

Coordenadora

Dra. Letícia de Siqueira Sá Barreto

Pós Graduandos (Doutorado)

Dr. Alexandre Diani Ferreira

Dr. Wagner Aparecido França

Dr. Adilson Pimentel De Carvalho Junior

Dr. Reinaldo Brás Moitinho

Fellow 2018

Dra. Denise Sbrissia e Silva Gouveia

Setor de Litíase Urinária e Endourologia

A litíase urinária é uma patologia de grande prevalência e recorrência na população. O setor de litíase e endourologia da Escola Paulista de Medicina está preparado para realizar dos mais simples aos mais complexos tratamentos endourológicos para cálculos urinários bem como realizar estudos que têm como finalidade prevenir tal patologia.

Procedimentos:
  1. Litotripsia extra corpórea LECO
  2. Ureterolitotripsia semi-rígida
  3. Ureteroscopia flexível
  4. Nefrolitotripsia percutânea
  5. Mini percutânea
  6. Cirurgia Vídeo Laparoscópica
  7. Análise metabólica e orientação dietética

Coordenador

Dr. Nelson Gattás

Médicos Assistentes

Dr. Alex Elton Meller

Dr. Fernando Figueiredo Berti

Dr. Gustavo Freschi

Setor de Urologia Pediátrica

A Urologia Pediátrica como subespecialidade urológica está presente desde o aconselhamento e conduta frente às alterações diagnosticadas por exames antenatais, bem como nas Uropatias e Malformações evidentes no período neonatal. As disfunções miccionais no período pré-escolar e escolar, e as alterações presentes no desenvolvimento genital e gonadal do adolescente também são motivo de atenção por parte do nosso setor.

Desta maneira, e, em uma breve listagem, os diagnósticos abaixo mencionados estão entre os mais frequentes entre os atendimentos realizados:

  • Dilatações do trato urinário diagnosticados no período ante e neonatal (Hidronefrose)
  • Estenose de junção pielo-ureteral
  • Refluxo vésico-ureteral
  • Megaureter
  • Displasia renal cística
  • Válvula de uretra posterior
  • Hipospádias, Epispádias e Extrofia Vesical
  • Criptorquidia
  • Hidrocele e cisto de cordão espermático
  • Doenças do Desenvolvimento Sexual (genitália ambígua)
  • Varicocele
  • Litíase (cálculos urinários) na infância
  • Enurese e Incontinência Urinária

Coordenador

Dr. Samuel Saiovici

Médicos Assistentes

Dra. Veridiana Costa Andrioli

Dr. Luiz Figueiredo Mello

Centro de Pesquisa em Urologia

O Centro de Pesquisa em Urologia tem atuação matricial com os outros setores da Disciplina de Urologia, com a finalidade de oferecer aos Pós-graduandos stricto sensu, aos residentes da Disciplina de Urologia e aos alunos de iniciação científica a possibilidade de desenvolverem atividades de pesquisa laboratorial em projetos de pesquisa. As linhas que norteiam as atividades do Centro de Pesquisa em Urologia seguem o princípio de:

  1. Garantir infraestrutura adequada para pesquisa
  2. Ensinar o método científico e o pensamento crítico nos alunos
  3. Desenvolver habilidades específicas para produção científica, como planejamento logístico, escrita científica e métodos quantitativos de análise de dados
  4. Congregar as ações do corpo discente, de maneira a unir esforços paralelos para auxiliar no desenvolvimento científico e tecnológico

O Centro de Pesquisa em Urologia abriga um parque de equipamentos de R$ 3,5 milhões, incluindo laboratório de cultura celular, laboratório de análise de expressão de proteínas, laboratório de análise celular e unidade de bioinformática, dentre outros. Mais informações podem ser encontradas neste link.

No laboratório são desenvolvidas as linhas de pesquisa básica do Programa de Pós-graduação em Urologia. Ademais, neste local seguimos a Proposta Pedagógica de ensino nos seguintes temas:

  1. Método científico
  2. Desenho experimental
  3. Análise de dados
  4. Revisão de Literatura
  5. Treinamento em pesquisa laboratorial
    1. Análise de expressão de Proteínas
    2. Análise de qualidade funcional das células (fragmentação de DNA, atividade mitochondrial, atividade oxidativa intracelular, dentre outras)
    3. Análise de expressão gênica
    4. Análise de polimorfismos / mutações
    5. Cultivo celular

Coordenador

Prof. Dr. Ricardo Pimenta Bertolla

Pesquisadores Assistentes

Dra. Paula Intasqui Lopes

Dr. Edson Guimarães Lo Turco

Dra. Mariana Camargo

Dra. Mariana Pereira Antoniassi

Setor de Transplante Renal

A insuficiência renal de vários graus vem crescendo continuamente em todos os países do mundo, devido ao aumento de expectativa de vida e aumento de prevalência de patologias como diabetes e hipertensão arterial. Nos casos mais graves, designados como insuficiência renal terminal, é necessária alguma terapia substitutiva renal, que pode ser diálise ou transplante renal. Sabidamente, o transplante oferece melhor sobrevida, qualidade de vida e é mais custo-efetivo quando comparado à diálise.

O grupo de Transplante Renal da Urologia da UNIFESP trabalha de forma integrada com a nefrologia e oferece Residência Específica em Transplante Renal para médicos que já terminaram a especialização em Urologia e também estágios de 1 a 3 meses para residentes de outras instituições. Todas as atividades são realizadas no Hospital do Rim, inaugurado em 1998 e atualmente o maior centro de referência do mundo, com aproximadamente 900 transplantes ao ano, além de todos os procedimentos urológicos relacionados.

Coordenador

Dr. Wilson Ferreira Aguiar

Residentes em Transplante Renal

Dra. Lilah Maria Carvas Monteiro

Dr. Murilo Matteucci Noleto

Setor de Andrologia

Os problemas relacionados à saúde sexual no Homem são prevalentes e um adequado treinamento médico é indispensável para a formação do Urologista. A disciplina de Urologia da Escola Paulista de Medicina oferece ao residente a capacidade de adquirir conhecimento teórico e prático nos seguintes temas:

  1. Disfunção erétil
  2. Desordens ejaculatórias
  3. Doença de Peyronie
  4. Priapismo
  5. Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino

O setor tem por princípio desenvolver ensino, pesquisa e assistência, com reuniões científicas semanais, atendimento ambulatorial 1 vezes por semana e centro cirúrgico 1 período a cada 15 dias.

O aluno deverá ser exposto aos procedimentos relativos a especialização, incluindo:

  1. Implante de Prótese Peniana
  2. Correção cirúrgica de Curvatura peniana
  3. Aplicação farmacológica intracavernosa

Coordenador

Dr. Matheus Brandão Vasco

Setor de Cirurgia Reconstrutiva

O sistema UroGenital é composto pelos órgãos que estão relacionados com a produção, transporte e armazenamento de urina, e pelos órgãos responsáveis pela reprodução. Após um trauma (automobilístico, quedas ou manipulação cirurgia prévia) o paciente pode desenvolver sequelas que modificam a anatomia do sistema UroGenital, e consequentemente o seu funcionamento adequado. Essas alterações podem levar a deformidades estéticas, obstruções funcionais, perdas urinárias sem controle (incontinência), infecções recorrentes e até a perda da função renal.

A Reconstrução UroGenital tem como princípio recuperar a anatomia do órgão que sofreu a lesão, reconstituindo-se suas atribuições, reparando sequelas e algumas vezes retomando-se a estética original. Ela tem como prioridade recuperar a função e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Desta forma, a Disciplina de Urologia da Escola Paulista de Medicina, possui um setor específico para cuidar dessas patologias. O urologista que faz especialização nessa área tem a oportunidade de realizar treinamento adequado para avaliar casos complexos, realizando diagnóstico preciso e o planejamento adequado de cirurgias de reconstrução do trato urinário.

O setor oferece oportunidade para que os urologistas tenham treinamento suficiente em:

  1. Avaliação radiológica de Uretrocistografia Miccional e Retrógrad
  2. Avaliação radiológica de TC e RNM pós trauma no sistema urinário
  3. Urofluxometria
  4. Estenose de uretra
  5. Reconstrução de uretra com uso de enxertos e retalhos
  6. Reconstrução peniana pós tratamento de hipospádia
  7. Fístulas urinárias complexas
  8. Lesão uretral pós fratura de bacia
  9. Trauma urológico

O setor funciona baseado nos pilares de ensino, pesquisa e assistência, com reuniões científicas e de pesquisa semanais, atendimento ambulatorial e centro cirúrgico.

O aluno deverá ser exposto aos procedimentos relativos a especialização, incluindo:

  1. Uretrotomia interna sob visualização direta
  2. Sondagem vesical guiada pós trauma de uretral
  3. Uretroplastia bulbar – excisão e anastomose primária
  4. Uretoplastia com uso de enxerto de mucosa oral
  5. Uretroplastia com retalhos
  6. Meatoplastia com uso de retalhos
  7. Uretroplastia estagiada
  8. Uretroplastia posterior – pós lesão uretral por fratura de bacia
  9. Correção de fístulas uretro-cutâneas
  10. Correção de estenose de anastomose vesico-uretral pós prostatectomia
  11. Uretrostomia perineal
  12. Tratamento de fístula reto prostática e reto uretral
  13. Reconstrução com retalho de músculo grácil

Coordenador

Dr. Júlio José Geminiani

Setor de Residentes da Disciplina de Urologia

Supervisores

Prof. Dr. Agnaldo Pereira Cedenho

Prof. Dr. Américo Toshiaki Sakai

Preceptor Administrativo

Dr. Samuel Saiovici

Preceptor Didático

Dr. Tiago Aparecido Silva

Residentes da Disciplina de Urologia

Dr. Lucas Pazzoline Oliveira Alexandria

Dr. Miguel Rodolpho Benjamin

Dr. Thiago D'addazio Machado

Dr. Bruno Queiroz Lima Castelo

Dr. Bruno Rafael Müler

Dr. Bruno Rodrigues Lebani

Dr. Rafael Haddad Astolfi

Dr. Raphael Vendrame Carrera

Dr. Umberto Fauze Amsei Filho